Pular para o conteúdo principal

Robôs Projetistas substituirão Seres Humanos?


Um Mundo sem volta!

Parece algo inimaginável, mas estamos vivendo em plena era tecnológica, e sem que nós possamos perceber, temos as nossas vidas totalmente controlada por computadores.
Os pagamentos são feitos de forma digital, assim como as nossas compras pela internet, empresas como a Amazon, Ebay e Google se tornaram megacorporações e lideram este mundo novo.


Agora é possível pedir comida, alugar um apartamento para se hospedar durante uma viagem e até mesmo pedir um táxi, apenas usando um aplicativo de celular.
Até mesmo os softwares CAD que estavam restritos a potentes “workstations”, hoje em dia são completamente portáteis e podem serem usados por engenheiros ou projetistas em uma obra, ou indústria, através de um simples tablet ou celular, é possível modificar plantas ou mesmo criar novos desenhos com apenas um clique.

Indo um pouco além o que se vê parece obra de filme de ficção científica, nos EUA, mas especificamente na região conhecida como Vale do Silício, onde se reúnem as principais megaempresas de tecnologia, é possível ver carros autônomos criados e testados por diversas companhias de tecnologia.

O Google, uma empresa por dois caras nerds, é o atual dono da empresa Boston Dynamics que desenvolvem robôs incríveis que são fabricados para funcionar e se parecer como animais que vivem no mundo real. É difícil ver alguém que não se espante ao ver vídeos destes robôs em ação, correndo, caindo, sendo chutados, e enfrentando obstáculos como um animal de carne e osso.






Contudo, já é de conhecimento de todos, que robôs estão extinguindo as vagas de trabalhos em diversas linhas de produção ao redor do mundo, principalmente na indústria automotiva, robôs soldam carros, chassis, componentes eletrônicos e praticamente são utilizados em todas as tarefas aonde existe o desenvolvimento de produção repetitiva.

Um robô é o funcionário perfeito para uma empresa, um robô (“ainda”) não pensa além do necessário, não reclama, não sente dor, trabalha incessantemente e melhor de tudo não tem salário.
Parece um tanto quanto irônico, mas antigamente existia um termo usado entre funcionários mais engajados e “anarquistas” que definiam aquele funcionário engomadinho e puxa-saco de “funcionário robô”

Este tipo de funcionário não reclamava, sempre concordava com o chefe, aceitava redução de salário, aumento da carga de trabalho, sempre sendo totalmente concordante com os interesses da empresa, na realidade este “cara” era como um verdadeiro robô, mas estava sujeito a todas as “intemperes” listadas acima e por pior que fosse o seu carácter este funcionário ainda tinha direitos e um salário para receber no final do mês.

Mas neste mundo tecnológico, o que ainda não foi criado um dia irá existir de um jeito ou de outro. Não há quem não deseje criar um robô que seja capaz de fazer o trabalho de, pelo menos, uns 100 homens, e pode ter certeza de que negociar uma máquinas destas seria tão simples como vender água no deserto, ou peguntar se uma criança deseja comer doces.

Será que Robôs projetistas substituirão Seres Humanos?

Eis uma boa pegunta! 

A resposta parece óbvia, mas quando isso vai acontecer?

Isto é algo que merece alguma reflexão, se você é assim com eu, e adora ficção científica e teve sonhos imaginativos ao assistir aos primeiros filmes do Exterminador do Futuro, o mesmo curte assistir a séries antigas de desenhos animados como os Jetsons, Akira, ou Ghost in The Shell, pode, com certeza, perceber que muitas coisas que eram obras de ficção (nunca imagináveis) estão presentes nos dias atuais, como drones, óculos de VR (Virtual Reality), telefones celulares, telas touch screem, veículos elétricos, internet, holografia, inteligência artificial e muitos outras coisas tecnológicas. Estamos vivendo na era da "Internet das Coisas" (IoT - Internet of Things).


Eu particularmente tenho formação com técnico em informática e estudo programação, em linguagem de máquina é possível fazer tudo, seguindo a ideia por trás de um algorítimo, que nada mais é que uma descrição metódica do modo de como uma tarefa precisa ser feita.

Assim todo e qualquer software CAD, nada mais é do que um algoritmo que simplifica a sua vida e desenha virtualmente uma peça, seguindo parâmetros técnicos, formando virtualmente na tela do seu computador, o que pode se tornar um produto físico ou peça real de produção.
Quando usamos o Solidworks por exemplo, nós desenhamos algo virtual em uma interface gráfica, mas no nível mais baixo do software (todo e qualquer) o que existe são apenas números, cálculos e códigos binários.

Desta forma um projetista cria sempre algo com base na sua necessidade ou mesmo por simples inventividade. Assim se um robô for programado para pensar algo com base em uma série de variáveis e possa contar com algo cognitivo ou com base em inteligência artificial, eu acredito que talvez seja possível algum dia, que um robô projetista possa substituir um ser humano.

E analisando esta ideia de forma mais crítica, não precisaríamos sequer de um robô com corpo físico, apenas de uma instrução de comando (software) um simples “Bot”.

Os perigos em ter um Robô como funcionário.

Na última sexta-feira 12/05/2017, ocorreu um ataque cibernético mundial que atingiu computadores e seus sistemas em mais de 150 países ao redor do globo.

O ataque Ransonare, denominado de "WannaCry", bloqueou dados e sistemas de bancos, hospitais e outras instituições, criptografando o dados do usuário e segundos os hackers , os dados só seriam liberados após o pagamento de um valor de resgate via Bitcoin. Isto chocou o mundo e alarmou todo e qualquer infomaníaco. 

Isto foi realmente parecido como um episódio da série Silicon Valley da HBO, mas não, é a simples realidade nos dias atuais e do mundo virtual no qual todos nós vivemos e talvez o início de uma guerra virtual.



Um funcionário robô com habilidades autônomas e com inteligência artificial, numa situação como está, poderia ignorar as “leis” da robótica de Isaac Asimov (criador do termo robótica e escritor de vários livros sobre ficção científica) e atentar contra a vida dos seres humanos e exterminar até mesmo o seu criador e isso tudo poderia culminar em uma guerra das máquinas, como em o Exterminador do Futuro com Arnold Schwarzenegger.

Mesmo não querendo pensar sobre isso agora, é quase impossível deixar de pensar nem que seja por um minuto, que o mundo atual caminha para que muitas de nossas tarefas atuais, possam serem feitas no futuro por algum tipo máquina.

Este é um mundo novo, assim como a internet ou os mistérios do universo, situações desastrosas e preocupantes podem serem esperadas ou previstas na pior das situações, mas mesmo assim, como é da natureza do ser humano, talvez seja necessário sonhar com isso, e se possível combater os possíveis problemas que isso possa nos trazer.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Projeto de Esteira Transportadora

Esteira Transportadora industrial. Projeto de estudo realizado no Autodesk Inventor 2012.
Aqui, pude fazer o uso das ferramentas "Frame Generator" e recurso de criação de soldas, através do comando "Weld" do Inventor. A adição destes comandos, agrega informações nas folhas de detalhamento do projeto e também auxilia no calculo de orçamento final.
É extremamente interessante, ver como estas ferramentas simplificam o trabalho de projetar e testar algo que se tenha em mente.













</ iframe>





Plataforma Elevatória

Projeto de plataforma elevatória de base estática, para elevação de cargas, para carregar ou descarregar grandes veículos ou caminhões. O projeto foi criado, levando-se em consideração pequenas empresas, onde não há disponibilidade de grandes equipamentos, como por exemplo uma empilhadeira.



Um equipamento como este, seria capaz de realizar o serviço de carga e descarga, de produtos de grande peso, como tambores, caixas e outros tipos de mercadorias, elevando-os de uma base para outra.


Imagem renderizada da plataforma. 


A intenção do projeto é diminuir grande parte do esforço humano, usado durante esse tipo de trabalho, fazendo que a força de flexão seja feita pela máquina.
Na etapa seguinte, será estudado a análise de resistência máxima da plataforma, através do uso da ferramenta de análise de stress do Inventor 2012.


Vídeo com a análise de movimento da plataforma.



</ iframe>




Cálculo de engrenagem e simulação dinâmica

Cálculo de transmissão por engrenagem dentada, realizado no Inventor, com intuito de estudar o movimento de engrenagens e suas relações, para adição posterior em outros projetos.
Para este estudo, criei duas engrenagens dentadas de diâmetros diferentes, usando o comando "Synchronous Belt", que cria engrenagens e correias sincronizadas.






Posteriormente realizei o estudo de simulação dinâmica, realizando a aplicação de restrições de movimento e juntas necessárias, aplicando rotação de 3200 rpm e torque de 400 mNm
A simulação dinâmica é capaz de simular o movimento das engrenagens em tempo real.


Veja o vídeo: